Donald Trump disse que a Apple está empenhada em expandir sua produção local construindo três novas fábricas em solo norte-americano, segundo informou o jornal Wall Street Journal.

O jornal citou a Trump afirmando que o CEO da Apple, Tim Cook, havia se comprometido a construir “três grandes plantas” nos Estados Unidos. “Eu disse: ‘Tim, a menos que comece a construir suas fábricas no país, não considero meu governo como um sucesso econômico’ “, disse Trump. Não foram dados mais detalhes e a Apple não respondeu às perguntas dos meios de comunicação do mundo.

Cook anunciou em maio a criação de um fundo de Apple destinado a contratar mais pessoas nos Estados Unidos para fazer “fabricação avançada”, o que faria mil milhões de dólares.

Cook disse que a Apple havia gasto mais de 50.000 milhões de dólares nos Estados Unidos em 2016 comprando de fornecedores como a norte-americana Corning Glass ou trabalhando com desenvolvedores para dispositivos de empresas californianas.

A empresa tecnológica tem cerca de 80.000 funcionários nos Estados Unidos e planeja contratar alguns milhares mais “no futuro”, de acordo com Cook.

O gigante tecnológico historicamente empinava a levar suas receitas para os Estados Unidos, porque a lei fiscal desse país permite que as firmas multinacionais diferir os benefícios quando estão no exterior, mas os impostos sobem até a mais de 35%, quando os ganhos são repatrian. A maior quantidade de receitas da Apple correspondem à venda de iPhones: geram ser mais de 50% de seu faturamento. Em 2016, em particular o de 60% das receitas.

O que fará a empresa? O mais provável é que a Apple faça um movimento simbólico para “acalmar” a Washington: investir mais em fabricar computadores Mac Pro em solo norte-americano ou em dispositivos de edição limitada, como um “iPhone edição de aniversário” para celebrar o décimo aniversário deste aparelho em 2017. Desta forma, atenderia o pedido da administração Trump… e continuaria mantendo a sua fonte de renda no exterior.

Origem: tn.com.ar