Mark Zuckerberg é um otimista. Não, o gol era Martín Palermo. “Zuck”, como dizemos os amigos (?), é um otimista da inteligência artificial. Há poucos dias teve um cruzamento com Elon Musk, o empreendedor que mais admiramos TN Tecno, por suas “diferenças de critérios”.

Segundo Elon, Mark não entende os perigos de robôs inteligentes… mas parece-felizmente!- seus funcionários sim.

A divisão de Facebook de desenvolvimento de inteligência artificial, criou um sistema dedicado às negociações. O problema é que depois de alguns dias, o programa começou a falar em um idioma estranho. Foi um erro? Não: tinha criado o seu próprio idioma! Rapidamente, eles decidiram encerrá-lo.

 

Essa inteligência artificial tinha dois “agentes”, que se dedicavam a negociar. Bob e Alice. Os desenvolvedores queriam ver como este sistema podia aprender a negociar. Mas Bob e Alice, rapidamente, evoluíram e decidiram deixar o inglês para mudar para um idioma mais rústico, rápido e eficaz.

Qual o problema? Se este sistema inteligente ignorar o idioma em que foi programado, pode ser complicado o desenvolvimento e a criação de melhorias. Além de um risco: se a inteligência artificial quiser, pode deixar de receber ordens dos humanos.

Facebook desligou o desenvolvimento, antes de perder por completo o controle sobre o mesmo. De todas formas, não é a primeira vez que algo assim acontece, o Google também perdeu o controle da linguagem de uma IA que tinha desenvolvido.

Os robôs, por agora, não disseram nada… mas todos sabemos como vai terminar.

Origem: tn.com.ar