Facebook ocupa um lugar de destaque entre os aplicativos que mais recursos gastos em celulares com Android. É a que mais tráfego de dados gera em segundo plano -ou seja, que mais a internet consome quando não estiver em uso-, a que mais armazenamento ocupa (também em segundo plano) e figura entre as 10 mais consomem bateria mesmo que não esteja sendo utilizada.

“Não há surpresas com o Facebook e seu aplicativo de mensagens Messenger”, sentenciou a empresa de segurança informática Avast em seu último Relatório global do Desempenho e Tendências do Android”, já que junto com o Google Maps, o WhatsApp -também de propriedade do Facebook- e o serviço de mensagens chinês WeChat, a rede social continua em os primeiros postos do ranking os aplicativos que mais gastam bateria.

O relatório é feito com base na análise de dados de três milhões de usuários do Android em todo o mundo, em que se analisaram, entre outras coisas, o desempenho dos equipamentos, a duração da bateria, o armazenamento e o tráfego que consomem.

Além do Facebook, o Google Maps, o WhatsApp e o WeChat, as aplicações que consomem com maior rapidez a vida da bateria no momento da ativação do telefone (ou seja, que o fazem de forma automática) são pré-instalados da Samsung, como o “Security Updates”, que oferece um sistema de segurança contra malware, e “All Share”, para compartilhar imagens entre dispositivos.

No entanto, Spotify, Netflix, Snapchat, Clean Master e Outlook destacam-se nos primeiros lugares da lista de aplicativos que mais consomem bateria, mas no momento de ser usados os usuários, o que “não constitui uma surpresa” -segundo o estudo – porque precisam de mais recursos que um navegador ou um aplicativo de e-mail.

No ranking das que mais tráfego de dados gerados em segundo plano, o primeiro lugar ocupado pelo Facebook segue-se uma aplicação de propriedade da mesma empresa, Instagram. Localizam-Se em seguida Yahoo! Japão, WhatsApp, Google Chrome e Google Play, entre outras.

Esta lista tem a particularidade de que se trata de dados (internet móvel) que consomem embora as apps “não estão usando ativamente“, precisa o relatório, que acrescenta que estas aplicações podem desativar ou eliminar processos em segundo plano para otimizar o uso do plano de dados, quando não se está conectado a uma rede wi-fi.

Origem: tn.com.ar